Potencialidades da metodologia photovoice na intervenção com pessoas idosas institucionalizadas

Autores

  • Rosalinda Chaves Escola Superior Educação e Ciências Sociais (ESECS), Instituto Politécnico de Leiria, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.2984

Palavras-chave:

photovoice, idosos, fotografia-participativa, bem-estar

Resumo

O envelhecimento tem sido assumido como vitória e desafio mundial, destacando-se como fenómeno contemporâneo de enorme pertinência. As instituições têm uma enorme responsabilidade na garantia do bem-estar e dignidade dos idosos, para que elas próprias não se tornem numa ameaça. É de enorme importância continuar a apostar-se num melhor entendimento dos fatores associados à realidade da institucionalização e continuar a fomentar a implementação de boas práticas neste género de cuidados, para que melhor se promova o bem-estar destas pessoas. Empregues em diversos campos do saber, as metodologias visuais têm vindo a afirmar- se como vias credíveis e legítimas de exploração da realidade social e cultural, estando o recurso a tecnologias e a linguagens artísticas a ser cada vez mais utilizado, nomeadamente com idosos. O Photovoice, metodologia de fotografia participativa desenvolvida e ampliada por Wang e Burris (1997), é um processo através do qual as pessoas identificam, representam e impulsionam a sua comunidade. Este artigo almeja refletir sobre o Photovoice enquanto forma de intervenção e pesquisa pelo bem-estar de idosos institucionalizados. Englobará uma análise do conceito na velhice, integrando- se a reflexão sobre a vantagem da utilização desta metodologia com tais populações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Antunes, M. & Pereira, J. (2014). Animação sociocultural e terceira idade. In A. Fontes, J. Sousa, M. Lopes & S. Lopes (Eds), Cultura, Participação e Animação Sociocultural em Contextos Iberoamericanos (pp. 135-145). Leiria: RIAP – Rede Iberoamericana de Animação Sociocultural.

Barreto, J. (1998). A Realidade Social dos Idosos em Portugal: O Desafio do Ano 2000. Saber (e) Educar, 3, 17-24.

Barreto, J. (2005). Envelhecimento e Qualidade de Vida: o desafio actual. Sociologia, XV, 289-302.

Barros de Oliveira, J. (2010). Psicologia do Envelhecimento e do Idoso, Porto: Livpsic.

Barthes, R. (1981). A Câmara Clara. Lisboa: Edições 70.

Bauret, G. (2000). A Fotografia: história, estilos, tendências, aplicações. Lisboa: Edições 70.

Blair, T. & Minkler, M. (2009). Participatory Action Research With Older Adults: Key Principles in Practice. The Gerontologist, 49 (5), 651-662.

Bulla Júnior, L. (2005). Fotografia e Loucura: um olhar sobre a condição humana na experiência do transtorno mental. Discursos Fotográficos, 1, 213-230.

Caballero, M., Lima, M., Costa, J. & Galvis, C. (2013). Adultos Idosos como Agentes: O Projeto W2P. Revista E-Psi, 3 (1), 48-68.

Campos, R. (2011). Imagem e tecnologias visuais em pesquisa social: tendências e desafios. Análise Social, XLVI (199), 237-259.

Campos, R. (2013). Introdução à Cultura Visual. Abordagens e Metodologias em Ciências Sociais. Lisboa: Mundos Sociais.

Capucha, L. (2014). Envelhecimento e políticas sociais em tempos de crise. Sociologia, problemas e práticas, 74, 113-131.

Cardoso, S., Santos, M., Batista, M. & Clemente, S. (2012). Estado e políticas sociais sobre a velhice em Portugal (1990--2008). Análise Social, 204, xlvii (3.o), 606-630.

Carvalho, R. de (1976). História da Fotografia – ciência para gente nova no2. Coimbra: Atlântida.

Carvalho, M. (2014). Social work and intervention with older people in Portugal: a critical point of view. European Journal of Social Work, 17 (3), 336-352.

Carvalho, M. & Dias, M. (2011). Adaptação dos Idosos Institucionalizados. Millenium, 40, 161-184.

Catalini, C. & Minkler, M. (2010). Photovoice: A Review of the Literature in Health and Public Health. Health Education & Behavior, 37 (3), 424-451.

Cohen, G. (2006). Research on Creativity and Ageing: The Positive Impact of the Arts on Health and Ilness. Generations, XXX (I), 7-15.

Crespo, A. & Pulido, P. (2014). La Fotografia Participativa en el contexto sócio- educativo com adolescentes. Comunicación y Hombre, 10, 143-156.

Cronin, Ó. (1998). Psychology and Photographic Theory. In J. Posser (Eds.), Image- based Research – A Sourcebook for Qualitative Researchers (pp. 69 – 83). Londres e Nova Iorque: Routledge.

Damásio, A. (2003). Ao Encontro de Espinosa: as emoções sociais e a neurologia do sentir. Lisboa: Europa América.

Dubois, P. (1993). O Ato Fotográfico e Outros Ensaios. Campinas: Papirus.

Esgalhado, G.; Reis, M., Pereira, H. & Afonso, M. (2014). Bem-estar Psicológico e Suporte Social numa Amostra de Idosos Portugueses Institucionalizados. International Journal of Developmental and Educational Psychology, 2 (1), 401-410.

Flood, M. & Phillips, K. (2007). Creativity in older adults: A plethora of possibilities. Issues in Mental Health Nursing, 28, 389-411.

Fonseca, A. (2004). O Envelhecimento – Uma abordagem psicológica. Lisboa: Universidade Católica Portuguesa.

Formosa, M. (2013). Creativity in Later Life: possibilities for personal empowerment. Fornvårdaren, 34, 78-93.

Fragoso, V. (2012). Emoção, Sentimento e Afeto na senioridade. In V. Fragoso & M. Chaves [Org.], Educação Emocional para Seniores (pp. 55 - 107). Viseu: Psicosoma.

Freire, P. (1979). Educação e Mudança. São Paulo: Paz e Terra.

Freire, P. (2005). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Fristrup, T. (2013). Craving Creativity in Later Life. Fornvårdaren, 34, 56-77.

Galinha, I. & Pais-Ribeiro, J. (2005). História e Evolução do Conceito de Bem-Estar Subjectivo. Psicologia, Saúde & Doenças, 6 (2), 203-214.

Gama, A., Teodoro, A. & Simões, A. (2014). Participação dos idosos: percursos construídos por finalistas da licenciatura em animação sociocultural. In A. Fontes, J. Sousa, M. Lopes & S. Lopes [Eds.], Cultura, Participação e Animação Sociocultural em Contextos Iberoamericanos (pp. 146 -159). Leiria: RIAP – Rede Iberoamericaba de Animação Sociocultural.

Garcês, S., Pocinho, M. & Jesus, S. (2013). Predição da criatividade e saúde mental. Psicologia, Saúde & Doenças, 14 (2), 272-279.

Governo de Portugal (2012). Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações. Programa de Ação, 2012. Consultado em: http://www.igfse.pt/upload/docs/2012/Programa%20A%C3%A7aoAnoEuropeu201 2.pdf

Griebling, S., Vaughn, L., Howell, B., Ramstetter, C. & Dole, D. (2013). From Passive to Active Voice: Using Photography as a Catalyst for Social Action. International Journal of Humanities and Social Science, 3 (2), 16-28.

Guedes, J. (2012). Viver num Lar de Idosos: Identidade em Risco ou Identidade Riscada? Lisboa: Coisas de Ler.

Harper, D. (2002). Talking about pictures: a case for photo elicitation. Visual Studies, 17 (1), 13-26.

Harrison, B. (2002). Seeing health and illness worlds – using visual methodologies in a sociology of health and illness: a methodological review. Sociology of Health & Illness, 24 (6), 856-872.

Hilário, F. (2007). A Arte: entretenimento, jogo e terapia. In J. Pereira, F. Vieites & M. Lopes (Coord.), Animação, Artes e Terapias (pp. 53 – 58). Ponte de Lima: Intervenção.

Instituo Nacional de Estatística [INE] (2011). Censos 2011 – Resultados Provisórios. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística.

Instituto Nacional de Estatística [INE] (2014). Projeções de População Residente 2012- 2060. Destaque, 1-18.

Jacob, L. (2007). Animação de Idosos – Actividades. Porto: Ambar.

Jacob, L. (2012). Respostas Sociais para Idosos em Portugal. In F. Pereira (Coord.), Teoria e Prática de Gerontologia – Um guia para cuidadores de Idosos (pp. 129-147). Viseu: Psicosoma.

Kowalski, M. (2013). O tempo na fotografia. IV Colóquio Internacional de Doutorandos/as do CES. Lisboa: CES. Consultado em http://cabodostrabalhos.ces.uc.pt/n10/documentos/6.1.3_Maria_Pereira_Kowalsk i.pdf

Lamas, M. & Paúl, C. (2013). O envelhecimento do sistema sensorial: implicações na funcionalidade e qualidade de vida. Actas de Gerontologia, 1 (1), 1-11.

Lewinson, T., Robinson-Dooley, V. & Grant, K. (2012). Exploring “Home” Through Resident’s Lenses: Assisted Living Facility Residents Identify Homelike Characteristics Using Photovoice. Journal of Gerontological Social Work, 55 (8), 745-756.

Lima, M. (2004). Posso Participar? Actividades de desenvolvimento pessoal para idosos. Porto: Ambar.

Lima, M. (2010). Envelhecimento – Estado da Arte. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra.

Machado, W. & Bandeira, D. (2012). Bem-estar psicológico: definição, avaliação e principais correlatos. Estudos de Psicologia, 29 (4), 587- 595.

Martin, M. (1987). Semiología de la Imagen y Pedagogía: Por una pedagogia de la investigación. Madrid: Narcea.

Meirinho, D. (2012). A Fotografia Participativa como ferramenta de expressão e representação social. Foto-ensaio do Projecto “Olhares em Foco”. Cadernos de Arte e Antropologia, 1, 77-82.

Meirinho, D. (2015). Olhares do saber e do fazer: O uso do método Photovoice como instrumento para a literacia visual em contextos de exclusão e vulnerabilidade. In M. J. Brites, A. Jorge & S. C. Santos [Eds.], Metodologias Participativas: Os media e a educação (pp. 203-212). Covilhã: LabCom Books.

Miguel, I. (2014). Envelhecimento e Desenvolvimento Psicológico: entre mitos e factos. In H. da Luz & I. Miguel (Coord.), Gerontologia Social – Perspetivas de análise e intervenção (pp. 53-68). Coimbra: Instituto Superior Bissaya Barreto.

Milhano, S. (2012). Motivações e perceções da participação num projeto de valorização do envelhecer através das artes e da música – um estudo exploratório. In F. Canastra, G. Santos & M. Lopes (Org.), Animação Cultural: Descobrindo Caminhos (pp. 67-83). Leiria: ESECS / NIDE / CIID / Instituto Politécnico de Leiria.

Milhano, S. (2014). Práticas musicais e artísticas e a (re)construção de identidades numa comunidade sénior. In A. Fontes, J. Sousa, M. Lopes & S. Lopes [Eds.], Cultura, Participação e Animação Sociocultural em Contextos Iberoamericanos (pp. 223-233). Leiria: RIAP – Rede Iberoamericaba de Animação Sociocultural.

Moody, H. (2002). Controversy 9: Does Creativity Declines With Age? In H. Moody, Aging: Concepts and controversies (pp. 368-390). Thousand Oaks: Pine Forge. Neto, M., Corte-Real, J. (2013). The Elder institutionalized: depression and social support. Journal of Aging & Inovation, 2 (3), 26-41.

Novo, R. (2005). Bem-Estar e Psicologia: Conceitos e Propostas de Avaliação. RIDEP, 20 (2), 183-203.

Oliveira, J. (2007). Terapia pela Arte numa abordagem hermenêutica. In J. Pereira, F. Vieites & M. Lopes [Coord.], Animação, Artes e Terapias (pp. 215-223). Ponte de Lima: Intervenção: Associação para a promoção e divulgação cultural.

Organização Mundial de Saúde [OMS] (2001). Men, ageing and health. Achieving health across the Span. Geneva: World Health Organization.

Organização Mundial de Saúde (2002). Active Ageing: A Policy Framework. Geneva: World Health Organization. Consultado em http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/67215/1/WHO_NMH_NPH_02.8.pdf

Organização Mundial de Saúde (2015). World Report on Ageing and Health. Geneva: World Health Organization. Consultado em http://www.who.int/kobe_centre/mediacentre/world_report_on_ageing_and_healt h_eng.pdf

Osorio, A. (2008). Animação Sociocultural na Terceira Idade. In J. Pereira, F. Vieites & M. Lopes (Coord.), A Animação Sociocultural e os Desafios do Séc. XXI (pp. 207-219). Ponte de Lima: Intervenção: Associação para a promoção e divulgação cultural.

Ostrower, F. (1993). Criatividade e Processos de Criação, 9a edição. Petrópolis: Vozes.

Pais-Ribeiro, J. (1994). A importância da qualidade de vida para a psicologia da saúde. Análise Psicológica, 2-3 (XII), 179-191.

Pais-Ribeiro, J. (2009). A importância da qualidade de vida para a psicologia da saúde. In J.P. Cruz, S.N. de Jesus, & C Nunes (Coord.), Bem-Estar e Qualidade de Vida (pp.31-49). Alcochete: Textiverso.

Palibroda, B., Krieg, B., Murdock L. & Havelock, J. (2009). A Practical Guide to Photovoice: Sharing Pictures, telling stories and changing communities. Winnipeg: Prairie Women’s Health Centre of Excellence. Consultado em http://www.pwhce.ca/photovoice/pdf/Photovoice_Manual.pdf

Paúl, C. (1997). Lá para o fim da vida – idosos, família e meio ambiente. Coimbra: Almedina.

Paúl, C. (2005). Envelhecimento activo e redes de suporte social. Sociologia, Revista da Faculdade de Letras, 15, 275-287.

Pereira, F. (2012). A Ideia de Vida Ativa. In F. Pereira (Coord.), Teoria e Prática de Gerontologia – Um guia para cuidadores de Idosos (pp. 207-214). Viseu: Psicosoma.

PhotoVoice.org (s.d). The PhotoVoice Manual: A guide to designing and running participatory photography projects. PhotoVoice.org. Consultado em http://www.photovoice.org/wp-content/uploads/2014/09/PV_Manual.pdf

Posser, J. (1998). The Status of Image-based Research. In J. Posser [Eds.], Image- based Research – A Sourcebook for Qualitative Researchers (pp. 97 – 112). Londres e Nova Iorque: Routledge.

Quivy, R. & Campenhoudt, L. (2005). Manual de Investigação em Ciências Sociais – 4a edição. Lisboa: Gradiva.

Rebelo, H. (2007). Psicoterapia na idade adulta avançada. Análise Psicológica, 4 (XXV), 543-557.

Ribeiro, O. (2012). O envelhecimento “ativo” e os constrangimentos da sua definição. Sociologia, Envelhecimento demográfico, 33 – 52.

Roberto, M., Fidalgo, A. & Buckingham, D. (2014). “Estas memórias que os retratos nos dão” – análise de um programa de inclusão digital aplicado em contexto de lar de terceira idade. Investigar em Educação, II (1), 199-218.

Rodrigues, F. (2011). Educação do Olhar. Lisboa: Chiado.

Rogers, C. (1974). Tornar-se Pessoa, 2a edição. Lisboa: Moraes.

Romero, M., Hyvönen, P. & Barberà, E. (2012). Creativity in Collaborative Learning across the Life Span. Creative Education, 3 (4), 422-429.

Runco, M. (2004). Creativity. Annual Review of Psychology, 55, 657-687.

Ryff, C. (1989). Happiness is everything, or is it? Explorations on the meaning of psychological well-being. Journal of Personality and Social Psychology, 57, 1069-1081.

Sequeira, C. (2010). Cuidar de Idosos com Dependência Física e Mental. Lisboa: Lidel.

Scharf, A. (1994). Arte y fotografia. Madrid: Alianza.

Serrano, G. (1997). Metodologias de Investigação em Animação Sociocultural. In J. Trilla (Coord.), Animação Sociocultural – Teorias, Programas e Âmbitos (pp. 101-119). Lisboa: Instituto Piaget – Ariel.

Silva, S. (2009). Qualidade de Vida e Bem-estar Psicológico em Idosos. Dissertação de Mestrado. Universidade Fernando Pessoa, Porto.

Sousa, J. (2014). Superar o luto: as atividades socioculturais na intervenção com as pessoas idosas institucionalizadas. In A. Fontes, J. Sousa, M. Lopes & S. Lopes (Eds.), Cultura, Participação e Animação Sociocultural em Contextos Iberoamericanos (pp. 169 – 180). Leiria: RIAP – Rede Iberoamericaba de Animação Sociocultural.

Souza, S. & Lopes, A. (2002). Fotografar e Narrar: A produção do conhecimento no contexto da escola. Cadernos de Pesquisa, 116, 61-80.

Tomé, A., Rodrigues, C., Costa, S. & Marques, S. (2015). Evolução da Legislação para Estruturas Residenciais e a Estigmatização do Envelhecimento em Portugal. Journal of Aging & Inovation, 4 (2), 11-20.

UNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística: Desenvolver as Capacidades Criativas para o Século XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO.

Vega, C. (2004). El ojo en la mano: La Mirada fotográfica en el siglo XIX. Girona: CCG.

Wakeling, K. (2013). Creativity and Subjective WellBeing among Older People: A Literature Review. Londres: Trinity Laban Conservatoire of Music & Dance.

Wallerstein, N. & Bernstein, E. (1988). Empowerment Education: Freire’s Ideas Adapted to Health Education. Health Education Quarterly, 15 (4), 379-394.

Wang, C. (1999). Photovoice: A Participatory Action Research Strategy Applied to Woman’s Health. Journal of Women’s Health, 8 (2), 185-192.

Wang, C. & Burris, M. (1997). Photovoice: Concept, Methodology, and Use for Participatory Needs Assessment. Health Education & Behavior, 24 (7), 369-387.

Woodhouse, A. (2013). Exploring the Impact of Participatory Arts on Older People: what the research literature tell us. Fornvårdaren, 34, 35-55.

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Chaves, R. (2017). Potencialidades da metodologia photovoice na intervenção com pessoas idosas institucionalizadas. Vista, (1), 181-206. https://doi.org/10.21814/vista.2984

Edição

Secção

Artigos