Povos expostos, povos figurantes

Autores

  • Georges Didi-Huberman

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.2963

Resumo

O primeiro filme projetado da história tem por título, como é sabido, A saída da fábrica Lumière. No dia 22 de março de 1895, na rua de Rennes em Paris, diante de cerca de duas centenas de espetadores, Auguste e Louis Lumière expuseram pela primeira vez, numa tela, o povo humilde em movimento (figura 1). Os seus próprios operários tinham sido enquadrados diante do portão da fábrica de Monplaisir, abandonando as suas oficinas, num intervalo do trabalho, pelo meio-dia. É, então, saindo da sua fábrica que os povos terão entrado em cena – terão beneficiado de um novo valor de exposição – na era do cinematógrafo. Tudo isto é bastante simples, está visto, mas também muito paradoxal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Didi-Huberman, G. (2017). Povos expostos, povos figurantes. Vista, (1), 16-31. https://doi.org/10.21814/vista.2963

Edição

Secção

Nota introdutória