A corporeidade na contemporaneidade: algumas reflexões sobre o discurso publicitário

Autores

  • Cristina Santos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT), Portugal

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.2982

Palavras-chave:

corporeidade, contemporaneidade, publicidade, juventude

Resumo

Com o presente artigo pretende-se refletir sobre a importância que a corporeidade tem na atualidade. Paralelamente, procura-se perceber qual o impacto que a emergente valorização do corpo belo e jovem, como propriedades características de uma imagem corporal que reflete os cânones estéticos vigentes, terá no discurso publicitário e qual o contributo que a publicidade poderá ter nessa estilização imagética prevalecente. Para o efeito, efetuou-se uma revisão da literatura, a qual permitiu detetar a particular preponderância da beleza corporal em contextos juvenis e femininos, dado o peculiar enfoque que a aparência assume para a juventude, com especial destaque junto das raparigas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Adamson, L.; Ferrer-Wreder, L. & Kerpelman, J. (2007). Self-concept consistency and future orientation during the transition to adulthood. Jornal Young, Vol. 15 No 1, 91-112.

Agnew, R. (1984). The effect of appearance on personality and behavior: are the beautiful really good?. Jornal Youth & Society, Vol. 15 No 3, 285-303.

Almeida, M. & Tracy, K. (2003). Noites nômades: espaço e subjectividade nas culturas jovens contemporâneas. Rio de Janeiro: Rocco.

Alvarado, M. (2006). El mito de la eterna juventud: productos de belleza destinados a jóvenes, in Cardoso et al. (org.). Jovens, marcas e estilos de vida (pp. 299-308). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Araújo, S. (2006). A juventude portuguesa e a publicidade televisiva – uma análise quantitativa dos spots dirigidos aos jovens de Portugal em 2005, in Cardoso, G. et al. (org.). Jovens, marcas e estilos de vida (pp. 317-326). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Araújo, S. (2013). Príncipe ou sapo? Comparando os estereótipos masculinos na publicidade televisiva brasileira e portuguesa. Revista Estudos em Comunicação, No 13, 261-280.

Ashikali, E-M. e Dittmar, H. (2012). The effect of priming materialism on women’s responses to thin-ideal media. British Journal of Social Psychology, Vol. 51, 514–533.

Autio, M. et al. (2013). Wealthy men and beautiful women? Constructing gender identity through consumption, in Jentl & Kaskinen (ed.). To be young! Youth and the future (pp. 133-143). Torku: Finland Futures Research Centre.

Bajoit, G. (2006). O papel da confiança na formação da identidade e do vínculo social, in Balsa (org.). Confiança e laço social (pp. 61-75). Lisboa: Edições Colibri.

Belleau, B. D., Summer, T. A., Xu, Y., & Pinel, R. (2007). Theory of Reasoned Action: Purchase intention of young consumers. Clothing and Textile Research Journal, 25(3), 244-57.

Bessenoff, G. (2006). Can the media affect us? Social comparison, self-discrepancy, and the thin ideal. Jornal Psychology of Women Quarterly, No 30, 239–251.

Boëthius, U. (1995). Controlled pleasures: youth and literacy texts, in Forñas & Bolin (ed.), Youth culture in late modernity (pp. 145-168). Londres: Sage Publications.

Brinkman, B. G. et al. (2012). Children’s gender identity development: the dynamic negotiation process between conformity and authenticity. Youth & Society Journal, Vol. XX, No X, 835-852.

Brull, M. e Abeja, D. (2006). El fenómeno dinki, un nuevo estilo de vida, lo último en target publicitario, in Cardoso et al. (org.). Jovens, marcas e estilos de vida (pp. 75-84). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Buhrmester, D. e Chong, C. (2009). Friendships in adolescence, in Reis & Sprecher (eds.). Encyclopedia of human relationships (pp. 718-721). Thousand Oaks: Sage Publications.

Bush, A.J. et al. (2004). Sports celebrity influence on the behavioral intentions of generation y. Jornal Advertising Research, Vol. 44 No 1.

Camargo, H. (2013). O filme publicitário como mito atualizado: fantasia, ritual, tempo e totemismo. Biblioteca on-line de Ciências da Comunicação. Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Campbell, C. (2004). I Shop therefore I Know that I Am: The Metaphysical Basis of Modern Consumerism, in Ekstrom, K. and Brembeck, H. (eds) Elusive Consumption: Tracking New Research Perspectives (pp. 27-44). Oxford: Berg.

Campos, R. (2010). Juventude e visualidade no mundo contemporâneo: uma reflexão em torno da imagem nas culturas juvenis. Revista Sociologia, Problemas e Práticas, No 63, 113-137.

Cardoso, P. e Pinto, S. (2009). Consumo hedónico e utilitário e atitude face à publicidade. Revista Comunicação pública, Vol. 4 No 8, 99-117.

Cerqueira, C. (2014). Os média, os públicos e os discursos de género: (in)visibilidades, linguagens e protagonistas, in Jorge, Cerqueira & Magalhães. PubliDiversidade. Representações sociais e igualdade de género na publicidade (pp. 7-16). Braga: União de Mulheres Alternativa e Resposta.

Chan, K. (2008). Social comparison of material possessions among adolescents. Jornal Qualitative market research, Vol. 11 No 3, 316-330.

Chang, H.J. et al. (2014). Consumers with disabilities: a qualitative exploration of clothing selection and use among female college students. Jornal Clothing and Textiles Research Journal, Vol. 32 No 1.

Chidid, I. e Leão, A. (2011). Atividades de consumo como recursos da construção da identidade pré-adolescente em interações verbais. Revista Organizações em Contexto, Vol. 7 No 13, 59-83.

Corrigan, P. (1997). The sociology of consumption: an introduction. Londres: Sage Publications.

Crymble, S. (2012). Contradiction sells: feminine complexity and gender identity dissonance in Magazine Advertising. Jornal Communication Inquiry, Vol. 3 No 1, 62– 84.

Dens, N. et al. (2008). Effects of nudity in advertising on consumers’ body esteem, in Pereira, F. C. et al. (ed.). New trends in advertising research (pp. 415-427). Lisboa: Edições Sílabo.

Deutsch, N. e Theodorou, E. (2010). Aspiring, consuming, becoming: youth identity in a culture of consumption. Jornal Youth & Society, Vol. 42 No 2, 229-254.

Dittmar, H. (2008). Consumer culture, identity and well-being: the searche for “good life” and the “body perfect”. Londres: Psychology Press.

Dittmar, H. (2009). How do "body perfect" ideals in the media have a negative impact on body image and behaviors? Factors and processes related to self and identity. Jornal Social and Clinical Psychology, Vol. 28 No 1, 1-8.

Dittmar, H et al. (2007). When a better self is only a button click away: associations between materialistic values, emotional and identity related buying motives, and compulsive buying tendency online. Jornal Social and Clinical Psychology, Vol. 26 No 3, 334–361.

Dubois, B. (1993). Compreender o consumidor. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Fannon, T. (2016). Out of sight, still in mind: visually impaired women's embodied accounts of ideal femininity. Jornal Disability Studies Quarterly, Vol. 36 No 1.

Fehr, B. (2009). Friendship formation and development. Encyclopedia of human relationships. Londres: Sage Publications.

Featherstone, M. (1994). Consumer culture e postmodernism. Londres: Sage Publications.

Featherstone, M. (1991). The body in consumer culture, in Featherstone, M. et al. (ed.). The body: social process and cultural theory (pp.170-196). Londres: Sage Publications.

Ferreira, P. (2000). Controlo e identidade: a não conformidade durante a adolescência. Revista Sociologia, Problemas e Práticas, No 33, 55-85.

Ferreira, V. (2003). Atitudes dos jovens portugueses perante o corpo, in Pais & Cabral (coord.). Condutas de risco, práticas culturais e atitudes perante o corpo: resultados de um inquérito aos jovens portugueses em 2000 (pp. 265-366). Oeiras: Celta.

Ferreira, V. (2011). Dar corpo à juventude: o corpo jovem e os jovens nos seus corpos, in Bendit, Pais & Ferreira (orgs.), Jovens e Rumos (pp. 257-276). Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.

Ferreira, V (2007). Sentidos e contextos da corporeidade marcada. Revista Trajectos, No 10, 21-34.

Fonseca, R. (2007). A arte como discurso: a identidade como mercadoria. Revista Sociologia, Problemas e Práticas, No 53, 117-133.

Galhardo, A. (2006). Marcas com que me identifico – o ponto de vista de um grupo de jovens consumidores, in Cardoso et al. (org.). Jovens, marcas e estilos de vida (pp. 225-234). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Ganetz, H. (1995). The shop, the home and femininity as a masquerade, in Forñas & Bolin (ed.). Youth culture in late modernity (pp. 72-99). Londres: Sage Publications.

Gay, P. et al. (1997). Doing cultural studies: the story of the Sony walkman. Londres: Sage Publications.

Giddens, A. (1989). A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes.

Giddens, A. (2004). Sociologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Goffman, E. (1993). A apresentação do eu na vida de todos os dias. Lisboa: Relógio d’Água.

Goffman, E. (1979). Gender advertisements. Cambridge: Harvard University Press.

Gonçalves, A. (1995). Construção social de identidades juvenis em contexto de exclusão social. Dissertação de Mestrado em Sociologia do Território. Lisboa: ISCTE.

Gove, J. e Watt, S. (2004). Identity and gender, in Woodward, K. (ed.). Questioning identity: gender class, ethnicity (pp. 43-77). Londres: Routledge.

Green, L. (2004). Gender, in Taylor & Spencer (ed.). Social identities: multidisciplinary approaches (pp.35-63). Nova Iorque: Routledge.

Gregson, K. (2006). Youth culture. Encyclopedia of children, adolescents, and the media. Londres: Sage Publications.

Gunter, B. e Furnham, A. (1998). Children as consumers: a psychological analysis of the young people's market. Londres: Routledge.

Haller, B. e Ralph, S. (2001). Profitability, diversity, and disability images in advertising in the United States and Great Britain. Jornal Disability Studies Quarterly, Vol. 21 No 2. Consultado em: http://dsq-sds.org/article/view/276/301.

Halliwell, E. e Dittmar, H. (2004). Does size matter? The impact of model's body size on women's body-focused anxiety and advertising effectiveness. Jornal Social and Clinical Psychology, Vol. 23 No 1, 104-122.

Henderson, B. e DeLong, M. (2000). Dress in a postmodern era: an analysis of aesthetic expression and motivation. Jornal Clothing and Textiles Research, Vol. 18 No 4, 237-250.

Hockey, J. e James, A. (2003). Social identities across the life course. Hampshire: Palgrave Macmillan.

Hoegh, D. e Bourgeois, M. (2002). Prelude and postlude to the self: correlates of achieved identity. Jornal Youth & Society, Vol. 33, 573-594.

Hogg, M. (2006). Self-conceptual uncertainty and the lure of belonging, in Brown & Capozza (ed.). Social identities: motivational, emotional and cultural influences (pp. 33- 49). Hove: Psychology Press.

Holdorf, R. (2005). The role of teen oriented fashion magazine content on clothing purchase behaviors and attitudes of adolescents and teens. Florida: Florida State University D-Scholarship Repository.

Hosltein-Beck, S. (1995). Consistency and change in the lifeworld of young women, in Forñas & Bolin (ed.). Youth culture in late modernity (pp. 100-119). Londres: Sage Publications.

Januário, S. e Cascais, A. (2012). O corpo masculino na publicidade: uma discussão contemporânea. Revista Comunicação e Sociedade, Vol. 21, 135-148.

Lahire, B. (2006). A cultura dos indivíduos. Porto Alegre: Artmed.

Lazar, M. (2012). Género, guerra e políticas do corpo: uma análise crítica multimodal da metáfora na Publicidade. Revista Comunicação e Sociedade, No 19, 183-203.

Lehmann, L. et al. (1998) Estetização do corpo: identificação e pertencimento na contemporaneidade, in Castro (org.). Infância e adolescência na cultura do consumo (pp.107-123). Rio de Janeiro: Nau.

Lopes, J. (2000). A cidade e a cultura: um estudo sobre práticas culturais urbanas. Porto: Edições Afrontamento.

Lopes, J. (1996). Tristes escolas: práticas culturais estudantis no espaço escolar urbano. Porto: Edições Afrontamento.

Maffesoli, M. (1990). A física mística do corpo. Revista de Comunicação e Linguagens: o corpo, o nome, a escrita, Vol. 10/11, 33-40.

Magalhães, S. (2014). Análise de anúncios publicitários em revistas estilo de vida portuguesas - Um estudo de caso, in Jorge, Sequeira & Magalhães. PubliDiversidade. Representações sociais e igualdade de género na publicidade (pp. 17-34). Braga: União de Mulheres Alternativa e Resposta.

Marion, G. e Nairn, A. (2011). We make the shoes, you make the story. Teenage girl’s experiences of fashion: Bricolage tactics and narrative identity. Jornal Consumption, Markets & Culture, Vol. 14 No 1, 29-56.

Miles, S. (1998). Consumerism: as a way of life. Londres: Sage Publications.

Miles, S. (2000). Youth lifestyles in a changing world. Buckingham: Open University Press.

Mota-Ribeiro, S. (2003). Corpos visuais: imagens do feminino na publicidade, in Macedo & Grossegesse (org.). Re-presentações do corpo (pp. 115-132). Braga: Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho.

Mota-Ribeiro, S. (2010). Do outro lado do espelho: Imagens e discursos de género nos anúncios das revistas femininas – uma abordagem sócio-semiótica visual feminista. Tese de Doutoramento em Ciências da Comunicação, Universidade do Minho, Braga, Portugal. Consultado em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/12384.

Nielsen, H. e Rudberg, M. (1993). Gender, body and beauty in adolescence: Three psychological portraits. Jornal Young, Vol. 1 No 2, 1-17.

Nunes, B. (2007). Consumo e identidade no meio juvenil: considerações a partir de uma área popular do Distrito Federal. Jornal Sociedade e Estado, Vol. 22 No 3, 647- 678.

Quadrado, R. (2006). Adolescentes: corpos inscritos pelo gênero e pela cultura de consumo. Dissertação de Mestrado em Educação ambiental. Rio Grande: Fundação Universidade Federal do Rio Grande.

Paço, A. e Raposo, M. (2003). Análise das atitudes de compra dos consumidores líderes e dos consumidores seguidores no caso do vestuário. Atas XIII Jornadas Hispano-Lusas de Gestión Cientifica, Lugo: Universidade de Santiago de Compostela.

Padilla-Walker, L. (2006). Adolescents, developmental needs of, and media. Encyclopedia of children, adolescents, and the media. Londres: Sage Publications.

Pais, J. (1995) Éticas e estéticas do quotidiano, in Lima dos Santos, M. L. (coord.), Cultura e Economia Actas do Colóquio (pp.129-152). Lisboa: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Pais, J. (2003) Grupos juvenis: condutas e imagens, in Pais & Cabral (coord.). Condutas de risco, práticas culturais e atitudes perante o corpo: resultados de um inquérito aos jovens portugueses em 2000 (pp. 367-412). Oeiras: Celta.

Pais, J (2005). Jovens e cidadania. Revista Sociologia, Problemas e Prácticas, No 49, 53-70.

Pais, J. (2010). Lufa-lufa quotidiana: ensaios sobre cidade, cultura e vida urbana. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.

Palacios, A. (2004). As marcas na pele, as marcas no texto. Sentidos de tempo, juventude e saúde na publicidade de cosméticos em revistas femininas durante a década de 90. Biblioteca on-line de Ciências da Comunicação. Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Pereira, F. e Antunes, A. (2008). Trends in cosmetics advertising in Portugal, in Pereira et al. (ed.). New trends in advertising research (pp. 373-389). Lisboa: Edições Sílabo.

Pereira, F. e Veríssimo, J. (coord.) (2004). Publicidade, o estado da arte em Portugal. Lisboa: Edições Sílabo.

Pereira, F et al. (2005). Consumo e auto-estima. Revista Comunicação Pública, Vol. 1 No 1, 135-157.

Pereira, F. et al. (2011). O papel da publicidade na compra de produtos cosméticos. Revista Comunicação e Sociedade, No 19, 161-178.

Perse, E. (2006). Advertising, effects on adolescents. Encyclopedia of children, adolescents, and the media. Londres: Sage Publications.

Pina, H. (2001). Jovens, consumo, marcas e revistas: estudo de caso. Dissertação de Mestrado em Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação. ISCTE, Lisboa, Portugal.

Pinto, C. (1995). Sociologia da escola. Amadora: McGraw-Hill.

Pinto-Coelho, Z. e Mota-Ribeiro, S. (2012). Analisando os discursos de género das e sobre as imagens publicitárias de mulheres: como articular a análise sociosemiótica com a análise da recepção. Biblioteca on-line de Ciências da Comunicação. Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Pinto-Coelho, Z. e Mota-Ribeiro, S. (2012). O reino do casal heterossexual na publicidade: uma análise sociosemiótica das estratégias visuais e inscrições discursivas. Revista Comunicação e Sociedade, No 19, 161-178.

Pons, A. (2006). Los arquetipos cinematográficos, modelos para la publicidad y creadores de valores sociales, in Cardoso et al. (org.), Jovens, marcas e estilos de vida (pp. 309-316). Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Reimer, B. (1995). The media in public and private spheres, in Forñas, J. & Bolin, G. (ed.). Youth culture in late modernity (pp. 58-71). Londres: Sage.

Ribeiro, M. (2011). Beleza feminina e publicidade: um estudo sobre as campanhas da marca Dove. Tese de Doutoramento em Comunicação Social: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Ribeiro, R. (2010). Sociologia do consumo: aplicado ao marketing e à comunicação. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

Ritzer, G. (2005). Enchanting a disenchanted world: revolutionizing the means of consumption. California: Pine Forge Press.

Rodrigues, E. (2013). Dar corpo ao género: uma análise sociológica das masculinidades. Dissertação de Doutoramento em Sociologia. Lisboa: ISCTE.

Rosales, M. (2002). Temos o que procura. Coimbra: Minerva.

Santos, C (2012). O poder simbólico do consumo: no trilho da génese do discurso publicitário. Revista Comunicando, Vol. 1 No 1, 29–42.

Santos, C. (2013). Publicidade e identidade: que relação?. Revista Comunicação Pública, Vol. 8 No 14, 37–55.

Schmidt, L. (1989). O discurso publicitário e a construção da juventude como categoria social. Lisboa: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Silva, C. (org.) (2001). Os jovens, o dinheiro e o crédito. Lisboa: Instituto do Consumidor.

Silva, R. (2011). Valores e felicidade no Séc. XXI: um retrato sociológico dos portugueses em comparação europeia. Tese de Doutoramento em Sociologia, ISCTE, Lisboa, Portugal.

Simmel, G. (1969). Cultura feminina. Alfragide: Galeria Panorama.

Simmel, G. (1991). Fashion, in Ray, L. (ed.), Formal Sociology: the sociology of Georg Simmel. Aldershot: Edward Elgar Publishing.

Simmel, G. (2004). Fidelidade e gratidão e outros textos. Lisboa: Relógio D’Água Editores.

Sontag, S. e Lee, J. (2004). Proximity of clothing to self scale. Jornal Clothing and Textiles Research, Vol. 22 No 4, 161-177.

Strandbu, A. e Kvalem, I. (2014). Body talk and body ideals among adolescent boys and girls: a mixed-gender focus group study. Jornal Youth & Society, No 46, 623-641.

Tajfel, H. (1982). Grupos humanos e categorias sociais: estudos em psicologia social. Lisboa: Livros Horizonte.

Tellis, G. e Ambler, T. (2007). Handbook of advertising. The Sage Handbook of Advertising. Londres: Sage Publications.

Touraine, A. (1982). Pela sociologia. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Twigg, J. (2009). Clothing, identity and the embodiment of age, in Powell & Gilbert (ed.) Aging and identity: a postmodern dialogue. Nova Iorque: Nova Science Publishers.

Veríssimo, J. (2008). O corpo na publicidade. Lisboa: Edições Colibri/Instituto Politécnico de Lisboa.

Vieira, R. (1999). Histórias de vida e identidades: professores e interculturalidade. Porto: Edições Afrontamento.

Vilhjalmsson, R. (2012). Bodily deviations and body image in adolescence. Jornal Youth & Society, Vol. 44 No 3, 366–384.

Wilska, T-A (2002). Me as a consumer? Consumption, identities and lifestyles in today’s Finland. Jornal Acta Sociologica, No 45, 195-210.

Woodward, K. (2004) Questions of identity, in Woodward (ed.). Questioning identity: gender class, ethnicity (pp. 6-22). Londres: Routledge.

Zayer, L. et al. (2012). Consumption and gender identity in popular media: discourses of domesticity, authenticity, and sexuality. Consumption Markets & Culture, Vol. 15 No 4, 333-357.

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Santos, C. (2017). A corporeidade na contemporaneidade: algumas reflexões sobre o discurso publicitário. Vista, (1), 137-163. https://doi.org/10.21814/vista.2982

Edição

Secção

Artigos