Visualidades sociotécnicas da cidade no jogo eletrônico Watch_Dogs

Autores

  • Daniel Abath Universidade Federal da Paraíba, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.3030

Palavras-chave:

cidade, representações, jogos eletrônicos, vida urbana virtual

Resumo

A proposta do presente trabalho é discutir acerca da influência dos jogos eletrônicos na construção sociotécnica das representações de cidades ─ em específico a cidade de Chicago ─ as quais se apresentam através de mecanismos geradores de uma experiência urbana virtual a partir de observações das cidades físicas, constituídas de forma sociotécnica, numa imbricação entre homem e máquina. Este artigo, portanto, consiste em uma tentativa de constatar como o espaço tridimensional navegável do jogo eletrônico com design em mundo aberto, o título Watch_Dogs, serve-se das suas estruturas e correspondentes prescrições enquanto programa não humano para conformar imagens da cidade física e sua dinâmica urbana, perfazendo observações visuais desse urbano em variados níveis de expressão comunicacional. Palavras-chave: cidade; representações; jogos eletrônicos; vida urbana virtual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Amaral, L. (2012). Arqueologia da R.U.A: narrativas em Realidade. Urbana. Aumentada. Quando o encontro se transforma em um território artístico, coletivo e expandido. Visualidades, Vol. 10 No 2. Consultado em: https://www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/viewFile/26549/15143.

Becker, H. (1996). A escola de Chicago. Maná, Vol. 2 No 2, 177-188.

Benjamin, W. (1987). Rua de mão única: obras escolhidas. São Paulo: Editora Brasiliense.

Brandão, C. A. L. (2006). As cidades da cidade, in Brandão (org.). As cidades da cidade (pp. 9-20). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Braudel, F. (1984) Las ciudades, in Braudel. Civilización material, economía y capitalismo, siglos XV-XVIII. Tomo I: Las estructuras de lo cotidiano: lo posible y lo imposible (pp. 418-489). Madrid: Alianza Editorial.

Calvino, I. (1990). As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras.

Canevacci, M. (2004). Metrópole comunicacional. Revista USP, No 63, 110-125.

Carlos, A. F. A. (2007). O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Labur Edições.

Castells, M. (2004). A galáxia internet: reflexões sobre internet, negócios e sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Certeau, M. de. (1994). A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes.

Di Felice, M. (2009). Paisagens pós-urbanas: o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar. São Paulo: Annablume.

Domènech, J. M. C. (2013) Enquanto a cidade dorme, in Costa & Buitoni (orgs.). A cidade e a imagem (pp. 51-110). São Paulo: Editora In House.

Hentschke, R. R. (2012). Caminhante: Espaço urbano, espaço digital e suas relações. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) ─ Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Jacobs, J. (2003). Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes.

Jenkins, H. (2004). Game design as narrative architecture, in Wardrip-Fruin & Harrigan (eds.). First person: new media as story, performance and game (pp.118-130). Cambridge: The MIT Press.

Juul, J. (2005). Half-real: video games between real rules and fictional worlds. Cambridge: MIT Press.

Lefebvre, H. (2001). O direito à cidade. São Paulo: Centauro.

Lopes, T. R. C. (2014). Algoritmos performativos de deriva: o caminhar como prática estética em aplicações para dispositivos móveis, in Congresso Brasileiro De Ciências Da Comunicação, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu.

Luhmann, N. (2006). La sociedad de la sociedad. Ciudad de México: Universidad Iberoamericana.

Lynch, K. (1960). A imagem da cidade. Lisboa: Edições 70.

Meia, A. (1999). A sociologia das cidades. Lisboa: Editorial Estampa.

Nitsche, M. (2008). Video game spaces: image, play and structure in 3D worlds. Cambridge: MIT Press.

Nogueira, L. (2008). Narrativas fílmicas e videojogos. Covilhã: Labcom.

Paula, J. A. de. (2006). As cidades, in Brandão (org.). As cidades da cidade (pp. 21-34). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Poole, S. (2014). The truth about smart cities: 'in the end, they will destroy democracy'. 2014. Consultado em: https://www.theguardian.com/cities/2014/dec/17/truth-smart-city- destroy-democracy-urban-thinkers-buzzphrase.

Reynolds, M. (2013). 'Watch Dogs' will be "pushed further" on PS4, "easier" to develop for. Consultado em: http://www.digitalspy.com/gaming/ps4/news/a461011/watch-dogs- will-be-pushed-further-on-ps4-easier-to-develop-for/.

Rosa, G. C. da. (2013). A cidade através da imagem: a fronteira entre experiência do vivido e experiência midiática nos espaços urbanos. Orson: Revista dos Cursos de Cinema do Cearte, Vol. 1, 57-73.

Sant'anna, M. J. G. (2003). A concepção de cidade em diferentes matrizes teóricas das Ciências Sociais. Revista Rio de Janeiro, No 9, 91-99.

Simmel, G. (2005). As grandes cidades e a vida do espírito. Mana: estudos de antropologia social, Vol. 11 No 2, 577-591.

Downloads

Publicado

2018-12-26

Como Citar

Abath, D. (2018). Visualidades sociotécnicas da cidade no jogo eletrônico Watch_Dogs. Vista, (3), 95-115. https://doi.org/10.21814/vista.3030

Edição

Secção

Artigos