Antropologia no campo expandido: uma articulação entre espaço, paisagem e as artes no estudo da experiência urbana

Autores

  • Lindolfo Sancho Universidade Federal de São Paulo, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.3032

Palavras-chave:

espaço, Paisagem, experiência urbana, Gordon Matta-Clark, campo expandido

Resumo

Fora dos museus e em interação com o espaço público, as artes se tornam objeto privilegiado de mediação da experiência urbana. Tendo essa experiência em mente, este artigo apresenta uma reflexão sobre duas intervenções realizadas por Gordon Matta-Clark nos píeres de Nova Iorque durante a década de 1970.
Considerando as categorias de espaço e paisagem como ferramentas teóricas, a mobilização do espaço urbano pelas artes será considerada a partir da ideia de “campo expandido”, tal como proposto por Rosalind Krauss referindo-se a um momento histórico no qual as fronteiras entre as práticas artísticas foram flexibilizadas em uma série de práticas espaciais híbridas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Attlee, J. (2007). Towards Anarchitecture: Gordon Matta-Clark and Le Corbusier, Tate Papers, no.7. Consultado em https://www.tate.org.uk/research/publications/tate-papers/07/towards-anarchitecture- gordon-matta-clark-and-le-corbusier.

Arantes Neto, A. (2000). Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, Imprensa Oficial.

Benjamin, W. (2017). Imagens do pensamento/Sobre haxixe e outras drogas. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Berque, A. (2013). Thinking through landscape. Abingdon: Routledge.

Careri, F. (2013). Walkscapes: o caminhar como prática estética. São Paulo: Editora G. Gili.

Cauquelin, A. (20017). A invenção da paisagem. São Paulo: Martins.

Certeau, M. (1996). A invenção do cotidiano: 2. morar, cozinhar. Petrópolis, RJ: Vozes.

Fiore, J. & Fusi, L. (2014). Remembering Gordon Matta-Clark. In Open Eye Gallery (ed.). The piers from here: Alvin Baltrop and Gordon Matta-Clark. (pp. 58-94) Liverpool: Open Eye Gallery. (catálogo de exposição).

Harvey, D. (2014). Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins fontes.

Koolhaas. R. (1994). Delirious New York. Nova Iorque: The Monacelli Press.

Krauss, R. (1979). Sculpture in the expanded field. October, vol. 8, 32-44. Consultado em http://www.onedaysculpture.org.nz/assets/images/reading/Krauss.pdf

Lefebvre, H. (1991). The production of space. Maiden: Blackwell Publishing.

Museum of Contemporary Art Antwerp (1977). Interview with Gordon Matta-Clark. Consultado em http://ensembles.mhka.be/events/gordon-matta-clark/assets/6304.

Oliver, V. (2012). Alvin Baltrop: dreams into glass. In Perspectives 179 – Alvin Baltrop: dreams into glass (pp. 13-15). Houston: Contemporary Arts Museum Houston.

Park, R. (1979). A cidade: sugestões para a investigação do comportamento humano no meio urbano. In Velho, O (org.). O fenômeno urbano. Rio de janeiro: Zahar Editores.

Reid-Pharr, R. (2014). Alvin Baltrop. In Open Eye Gallery (ed.). The piers from here: Alvin Baltrop and Gordon Matta-Clark. (pp. 44-57) Liverpool: Open Eye Gallery. (catálogo de exposição).

Sarlo, B. (2010). La ciudad vista: mercancias y cultura urbana. Buenos Aires: Siglo Veinteuno Editores.

Simmel, G. (1996). A filosofia da paisagem. Revista Política e Trabalho no12, 15-24.

Wagstaff Jr, S. (1968). Talking with Tony Smith. In Battcock, G. Minimal art: a critical anthology. Boston: Dutton & Co.

Weinberg, J. (2014). City-Condoned anarchy. In The piers from here: Alvin Baltrop and Gordon Matta-Clark. (pp. 20-43) Liverpool: Open Eye Gallery.

Wisnik, G. (2010). Arquitetura arruinada. Novos estudos - CEBRAP. n. 87. Consultado em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101- 33002010000200012#nt08.

Downloads

Publicado

2018-12-26

Como Citar

Sancho, L. (2018). Antropologia no campo expandido: uma articulação entre espaço, paisagem e as artes no estudo da experiência urbana. Vista, (3), 129-147. https://doi.org/10.21814/vista.3032

Edição

Secção

Artigos