Cardoso, M. (2015). Yvone Kane. Moçambique, Portugal, Brasil: Filmes do Tejo & MPC Filmes.

Autores

  • Ana Cristina Pereira Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), Universidade do Minho, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.21814/vista.2986

Resumo

Margarida Cardoso nasceu em Portugal e passou a infância em Moçambique onde o pai, militar da força aérea, esteve destacado desde 1966. Cresceu durante a guerra colonial, rodeada de silêncio sobre este e outros assuntos, como a existência de livros proibidos, ou o desaparecimento de pessoas. Quando voltou a Portugal deparou-se novamente com silêncios: sobre a nostalgia do império, a defesa do colonialismo, a permanência de Portugal em África e a guerra colonial. A obra desta autora é marcada pela necessidade de dar um corpo discursivo ao silêncio relativo a esse período da sua infância e juventude e pelo desejo de “guardar e reconstituir um tempo à beira do fim”2. Yvone Kane, a segunda longa-metragem de ficção de Margarida Cardoso (depois de Costa dos Murmúrios de 2004), é uma coprodução entre Portugal e o Brasil, que estreou em fevereiro de 2014, foi rodada em Portugal e Moçambique e conta com a participação de atores portugueses, brasileiros e moçambicanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Pereira, A. C. (2017). Cardoso, M. (2015). Yvone Kane. Moçambique, Portugal, Brasil: Filmes do Tejo & MPC Filmes. Vista, (1), 212-214. https://doi.org/10.21814/vista.2986

Edição

Secção

Comentários